Fale Conosco

microney@gmail.com

Fátima do Sul

R. Pres. Dutra 1313

Atendimento

Dás 08:00 as 17:30

Golpes no WhatsApp em 2021

Ataques devem ocorrer em smartphones pessoais, mas também contra empresas e instituições públicas.

Golpes no WhatsApp estão entre as principais ameaças digitais para 2021

Spread the love

Operações coordenadas para roubar dados confidenciais e golpes financeiros envolvendo WhatsApp, são alguns dos tipos de ciberataques previstos para assolar os computadores latino-americanos, em 2021. A análise foi feita pela empresa de cibersegurança Kaspersky, que listou uma série de ameaças digitais que devem surgir com a virada do ano.

De acordo com Dmitry Bestuzhev, diretor da equipe latino-americana de pesquisa e análise da companhia, os hackers presentes em nosso continente devem copiar o modus operandi de cibercriminosos presentes no Leste Europeu. Esses ciberataques serão ainda mais complexos, com maior potencial de lucro, visando empresas e instituições públicas. Confira todas as ameaças digitais:

Ataques devem ocorrer em smartphones pessoais, mas também contra empresas e instituições públicas. Imagem: iStock

Ataques devem ocorrer em smartphones pessoais, mas também contra empresas e instituições públicas. Imagem: iStock

Desenvolvimento local de ransomware
Segundo as previsões feitas pela companhia, o ransomware direcionado insere uma ameaça digital que infecta o computador. Ele exibe mensagens exigindo o pagamento de uma taxa, geralmente em criptomoedas, para fazer o sistema voltar a funcionar. Há esquemas semelhantes como os já identificados Egregor, Ragnar Locker, Netwalker, Sodinokibi, entre outros.

“Hacker de aluguel“: uma ameaça digital
Aumento e diversificação dos ataques dirigidos aos sistemas financeiros por grupos de cibercriminosos locais será outra ameaça digital. De acordo com a análise, haverá uma espécie de terceirização no estilo “hacker de aluguel” com o objetivo de atacar bancos e outras instituições financeiras.

Ameaças digitais em aplicativos bancários
Golpes financeiros para Android com acesso remoto (malware RAT – Remote Administration Tool) devem se tornar mais frequentes. Com a maior utilização de ferramentas bancárias para dispositivos móveis, os cibercriminosos devem focar em criar códigos maliciosos para os aplicativos de smartphones.

Mais trojans
De acordo com a Kaspersky, mais famílias de trojans brasileiros vão expandir suas operações pelo mundo. A empresa cita exemplos de cavalos de Troia como Tétrade, o Bizarro e o Lampion, que podem ganhar maior agilidade em 2021, entre possíveis ameaças digitais.

Pontos de vendas vulneráveis
A previsão da companhia é que aconteçam mais ataques aos sistemas de ponto de venda (PoS) e que o aumento possa tornar o golpe mais popular por meio de esquemas MaaS (Malware as a Service).

Golpes no WhatsApp devem continuar com a chegada do WhatsApp

Golpes no WhatsApp devem continuar com a chegada do WhatsApp Pay. Imagem: Pixabay

Roubo de contas do WhatsApp
Aumento no roubo (account-takeover) do WhatsApp. Esse golpe não precisará de um software arrojado para ser realizado. De acordo com a Kaspersky, a técnica dos criminosos é usar de engenharia social, pedindo os dígitos de autenticação (OTP) recebidos por SMS e solicitando dinheiro aos contatos das vítimas. O golpe deve continuar, principalmente, com a chegada do WhatsApp Pay, que permite pagamentos direto na plataforma.

Ataques coordenados a empresas e instituições públicas
O objetivo aqui é o roubo de informação e, posteriormente, divulgação nas redes sociais. O relatório indica que o alcance desse tipo de golpe será ainda maior em 2021. Recentemente, a Capcom sofreu com um ataque do mesmo gênero e teve informações confidenciais sobre seus jogos vazadas na internet.

Roubo de informações privadas
Este golpe (informações de identificação pessoal – PII, sigla em inglês) deve se aproveitar do aumento do trabalho remoto e de aulas online. As previsões apontam que os principais alvos serão escolas, universidades e plataformas virtuais de aprendizagem.

Inteligência Artificial como ameaça digital
Uso de técnicas relacionadas à inteligência artificial para orquestrar campanhas de desinformação. A última ameaça digital prevista pela Kaspersky envolve ferramentas com aprendizado de máquina, que podem tornar a detecção de campanhas maliciosas ainda mais difícil.

Por fim, a empresa acredita que eventos como os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiado para o ano que vem por conta da pandemia de Covid-19, devem atrair ainda mais ataques como phishing, malware e ataques DDoS. Caso a presença do público seja permitida, Bestuzhev acredita que roubos em caixas eletrônicos também voltarão a fazer vítimas.

Deixe uma resposta